>

Operação Apneia: PF fez buscas na casa do secretário de saúde do Recife

Jailson Correia é secretário de saúde do Recife (Andrea Rêgo Barros/ PCR)

De acordo com informações da Polícia Federal, o mandado no bairro do Espinheiro, zona norte do Recife, foi cumprido na residência do secretário de Saúde da Capital, Jailson Correia. O celular do auxiliar foi apreendido pela Polícia.

A segunda fase da operação Apineia, deflagrada na manhã desta quinta-feira (28), está investigando supostas irregularidades em contratos celebrados para aquisição de 500 respiradores pulmonares, por meio de dispensas de licitação, pela Secretaria de Saúde do Recife. O equipamento seria usado no tratamento de pacientes com a covid-19.

No Recife, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão nos bairros do Recife, no Centro, e Espinheiro, na Zona Norte da capital. A ação acontece em conjunto com o Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União.

Segundo as investigações, empresas com débitos com a União superiores a R$ 9 milhões se utilizaram de uma microempresa “fantasma”, constituída em nome da ex-companheira do proprietário de fato, para contratar com a prefeitura, uma vez que firmas com débitos fiscais ou previdenciários não podem firmar contratos com entes da administração pública. As investigações policiais revelaram que a firma contratada não existe de fato em seu endereço de cadastro, além de não ter funcionários ou bens em seu nome.

A Polícia Federal também informou nesta quinta-feira, que os respiradores adquiridos foram guardados em um galpão e não chegaram a ser usados.Um documento expedido por órgão da pasta informa que a fornecedora “não comprovou a homologação da Anvisa”. Ao mesmo tempo, em conta de rede social do proprietário da fabricante dos respiradores, observou-se que os aparelhos, ao menos até o início do mês de maio do presente ano (quando já haviam sido entregues unidades à PCR), teriam sido testados somente em animais.

Resposta da PCR sobre a operação
"A referida compra foi cancelada pela Secretaria de Saúde e o único valor pago, de R$ 1,075 milhão, já foi devolvido pela empresa à Prefeitura no último dia 22. Portanto, não há possibilidade de haver qualquer prejuízo à Prefeitura do Recife", informou o órgão, acrescentando que seguiu dentro da legalidade. "Todos os procedimentos da Secretaria de Saúde estão sendo realizados dentro da legalidade e todos os processos de aquisição da pandemia estão sendo enviados, desde abril, por iniciativa da própria prefeitura, ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE). A Secretaria de Saúde e todos os órgãos da Prefeitura continuam à disposição dos órgãos de controle para prestar qualquer esclarecimento.

©‎2020 MultiMidia Info

0 comentários:

Postar um comentário

Recomende e compartilhe para seus amigos no facebook

Tecnologia do Blogger.